HISTÓRIA

A Escola de Vela Oceano foi criada na cidade de Porto Alegre – RS a mais de 30 anos pelo velejador Marcelo Visintainer Lopes. Casado com Mara Ávila há 25 anos, Marcelo é pai do casal de velejadores Kauli (25) e Mabi (23).  

Mara, Kauli, Mabi e Marcelo

  Marcelo começou a velejar na escola de vela do clube Veleiros do Sul entre 1974 e 75. Competiu na classe Optimist dos 07 aos 14 anos e depois começou a treinar e competir na classe Pinguim como proeiro. Aos 15 anos, além da classe Pinguim, começou a velejar de Windsurf e também a participar como tripulante em competições da classe Oceano. Aos 16 foi proeiro da classe Snipe e em seguida passou a timoneiro. Ainda aos 16, ingressou no curso de Educação Física (Licenciatura) na Federal do Rio Grande do Sul. Em 1987, aos 17 anos iniciou a carreira de instrutor de vela, ministrando aulas para adultos e crianças no Veleiros do Sul. Em 1990 foi contratado pelo Iate Clube Guaíba (Porto Alegre) para reativar a flotilha de Optimist e a escola de vela. Nas funções que ocupava conseguiu criar e implantar diferentes formatos de cursos e novas metodologias de ensino. Entre 1991 e 92 foi incentivado pela diretoria do mesmo clube a abrir uma empresa e prestar serviço como terceirizado, assumindo assim, o espaço físico e os barcos da escola. Surgia então a primeira escola de vela particular do Rio Grande do Sul (Escola Navegar). A escola permaneceu com este nome por mais algum tempo e depois foi feita a alteração definitiva para “Escola de Vela Oceano” (o qual permanece até os dias de hoje). Em 1994 a escola adquiriu seu primeiro veleiro oceânico (Delta 26’). Antes disto, e desde 1987, Marcelo já ministrava aulas de vela oceânica para alunos que possuíam veleiro e também alugava veleiros por temporada. De lá para cá a escola já foi proprietária de 04 Deltas 26’, 01 Delta 32’ e 01 Wind 34’. No ano de 2000 Visintainer foi convidado pela Prefeitura de Porto Alegre e pela Federação de Vela do Rio Grande do Sul, com o endosso do Governo do Estado (proprietário legal do espaço) a assumir a operação da Marina Pública de Porto Alegre. Durante 03 anos o local abrigou uma marina seca com 100 vagas, a escola de vela com os cursos de monotipo, vela oceânica e habilitações da Marinha e também o projeto social Navega Porto Alegre, desenvolvido e coordenado por ele. No terceiro de atividades e sem a perspectiva de cumprimento das contra-partidas oferecidas pelo estado, a Escola de Vela Oceano rescindiu o convênio. Os dois anos seguintes foram dedicados a longas travessias oceânicas na costa brasileira, sempre com alunos formados ou em processo de formação. No retorno para o sul, a Oceano fez a opção estratégica de focar suas atividades somente nos cursos de vela oceânica, com os quais vêm trabalhando até hoje. No final de 2013, após dois anos de estudo de mercado e planejamento, a Escola de Vela Oceano foi transferida para Florianópolis.