contato

Base Florianópolis - Santo Antônio de Lisboa
fone: 48 988113123
Prof. Marcelo Visintainer Lopes
escoladevelaoceano@gmail.com

terça-feira, 3 de julho de 2012

Tapes - POA. Parte 2

Saímos de Tapes com uma leve brisa de leste que mal dava para empurrar o barco.
Como a previsão do vento era para às 15h, seguimos a motor e aproveitamos para organizar o barco e fazer algumas manutenções como subir no mastro e realizar a trocas das adriças do lazy jack. 
O vento acabou entrando meia hora antes, enquanto eu ainda estava lá, pendurado. Aproveitei para curtir o visual do Pontal de Tapes... A vista lá de cima é espetacular. O pontal é um lugar lindo e vale muito a pena conhecê-lo de perto, aproveitando cada cantinho que ele esconde.
Com a intensidade aumentando (12 a 15 nós) e a direção variando de ESE a SE, tivemos que dar várias cambadas até o contorno do pontal. Quando safamos a ponta, pudemos arribamos um pouco, rumando para o waypont do Barba Negra.
A lagoa estava mansa  e as ondas não passavam de meio metro, proporcionando uma navegada de sonho... 
A lua nasceu cedo e dava ares de que a noite seria muito clara. Depois do por do sol, a luminosidade não mudou. Dava a sensação de que o sol ainda não tinha ido embora. A noite caiu e a luz da lua estava muito intensa.
Às 20h conseguimos avistar a luz do Farol de Itapuã. Navegamos por mais 1h30 até cruzar a Barra do Guaíba.
Dali rumamos para a Praia do Sítio que é uma das melhores opções de pernoite para o vento E.
Âncora lançada e churrasqueira pronta... Fogo!!!
Carne, brindes com champagne, fotos e lembranças da velejada na Lagoa dos Patos. O que a vida pode nos dar de melhor numa hora dessas? Difícil dizer, pois a felicidade e a sensação de dever cumprido preenchem o espírito. O que pode ser mais recompensador do que horas de velejada sem a vista do horizonte e depois um churrasco com os amigos em meio à natureza em seu estado mais puro.








Acordamos por volta das 7h. O sol ainda não havia nascido e a luminosidade formava um contraste incrível. Uma das paisagens mais lindas que eu já tinha visto por ali...
Enquanto eu preparava o café da manhã, observava tudo isso pela visão ampliada do interior do Wind 34'. Enquanto você cozinha consegue observar tudo que está acontecendo lá fora. 
Depois do café, voltamos à lagoa para mais algumas horas de velejada. Tínhamos que cumprir mais umas 8 a 9h de carga horária. Fomos então até as praias do Tigre e de Fora, driblando as redes de pesca do caminho. O vento E, com rajadas de 10 a 12 nós e lagoa lisa, deixaram aquela manhã ainda mais especial.
Velejamos até as 11h na lagoa e depois começamos o retorno para Porto Alegre.
Depois do Farol de Itapuã o vento deu uma parada. Motoramos por uma meia hora até a entrada no vento N (a previsão para o domingo era de NW). Entrou com tudo de uma vez... Já com 15 e rajadas mais fortes.
Antes do vento entrar eu já tinha colocado fogo na churrasqueira. De contra-vento, com o barco adernado e com ondas não muito pequenas, continuei assando.
Perto do Saco do Lami resolvi guardar as velas e seguir a motor até um abrigo, já que a carne estava querendo se jogar para fora da churrasqueira.
Ancoramos na Ponta dos Coatis, ao lado da Ilha do Chico Manoel e ali saboreamos o assado que já estava pronto.
14h. Suspendemos a âncora e partimos para o trecho final da nossa travessia.
O vento permaneceu constante até depois da Ponta Grossa. Demos vários bordos até vencermos a ponta do morro, deixando as "Baleias" por bombordo.
Dali em diante o vento foi diminuindo e resolvemos ligar o motor para não dar atraso na chegada no Jangadeiros.
Cruzamos o Farol do clube exatamente às 17h 08 minutos. A previsão de chegada era às 17h...
Parabéns aos alunos Cláudio, Becker, Zeca, Mathias e Jacson. Em agosto tem mais!!










Fotos: Marcelo Lopes
Veja o álbum completo em alta resolução no link: