contato

Base Florianópolis - Santo Antônio de Lisboa
fone: 48 988113123
Prof. Marcelo Visintainer Lopes
escoladevelaoceano@gmail.com

domingo, 3 de junho de 2012

Porto Alegre - Tapes

Tripulação a bordo, barco abastecido, aviso de saída dado. Vamos partir!
Sábado, 12h45, saindo do Jangadeiros rumo a Tapes.
Como o vento ainda não havia chegado, motoramos até a Ponta do Arado. A previsão era de vento NW para depois das 15h, o que acabou ocorrendo, possibilitando uma balonada até depois do Farol de Itapuã.
Logo depois do Arado, entre a calmaria e a entrada do vento, uma rede de pesca nos pescou. Estávamos analizando as previsões do tempo na mesa do cock-pit, quando o barco resolveu parar de vez. Eram 14h30 quando fomos pescados e por sorte ainda não havíamos almoçado. Foi a primeira vez que peguei uma rede em todos estes anos que navego. Sempre tive sorte com elas. Costumo desviar ou passar por cima, quando não vejo as bóias de superfície. Passo bem no meio do seio entre uma  bandeira e outra e sempre dá certo.
Puxamos com o croque para cortá-la de uma lado da quilha mas nem assim ela soltou. Fui pra água! Amarrado com um cabo de segurança e um canivete especial para cortes rápidos, mergulhei até a quilha, tentando libertar o Oceano VI das malhas. Cortei o que pude e depois a tripulação puxou pelo outro lado, safando a quilha.
Faltava ainda conferir a rabeta do motor para ver se nada ficou preso nela.
Tudo ok. Podemos velejar!
O vento NW entrou próximo das 15h como indicara a previsão, permitindo que o balão fosse içado.




Montamos o cotovelo de Itapuã com um jaibe e rumamos para o Farol, já com ventos de 10 a 12 nós.
A passagem pelo Farol foi em torno de 17h20. O balão pra cima estava fantástico e cruzar a Barra do Guaíba com ele armado foi uma sensação muito bacana. O tradicional brinde da Lagoa ficou em segundo plano. A balonada  de 7,5 nós em frente ao cartão postal do Guaíba foi o verdadeiro brinde.





Baixamos o balão logo depois da barra, abrimos a genoa e rumamos para os 215 graus, iniciando uma navegação mais conservadora, já que tínhamos pelo menos 30 milhas até o Pontal de Tapes.
A previsão de chegada no pontal era por volta das 23h.
O vento foi aumentando aos poucos e as médias de velocidade passavam dos 6,5 nós, ótimas para uma navegada noturna.
O céu estava encoberto mas a lua dava sinais de que iria aparecer entre as nuvens...
O tempo passou tão rápido que nem vimos. Já estávamos próximos do pontal e prontos para iniciar o plano de fundeio. A idéia era descansar um pouco, tomar um café e depois seguir para Tapes.
Como o vento estava de W a algumas horas, o melhor abrigo estava a E do Pontal. Aproximamos o quanto deu mas as ondas de NW, resultado do vento NW que predominou na tarde, ainda estavam muito fortes, impossibilitando nossa tentativa no local.
Rumamos mais para a ponta do pontal, onde ela é mais abrigada de NW e ali conseguimos lançar a âncora e descansar. Até o momento nenhum pingo de chuva havia caído. Terminamos de arrumar a amarra da ãncora, entramos para a cabine e a chuva começou. Muita sorte a nossa!!!
A previsão de chuva para a região de Tapes era de pouca intensidade e duração. Foram poucos minutos de chuva e em seguida o céu abriu, dando espaço para aquela lua maravilhosa.
O céu todo estrelado e a lua iluminando a lagoa era um convite irresistível para uma velejada.
Depois de 1h de descanso, o vento rondou para SW e nos obrigou a levantar a âncora e cruzar para a margem W, junto a Tapes. Motoramos por 1h até alcançar abrigo das ondas e ali permanecemos fundeados até às 8h.



O dia amanheceu lindo e gelado com ventos que passavam dos 18 nós.
Tomamos o café da manhã, demos uma geral na cozinha e rumamos para as 9 milhas finais da travessia.
Com o vento de popa, o barco passava do 8 nós! A bóia verde do canalete de acesso ao CNT era o nosso waypoint. Dali em diante tivemos que  motorar até o clube já que o vento estava bem na "cara". Atracamos por volta das 11h30 no trapiche do clube, onde 2 famílias aguardavam anciosas, seus marinheiros.

Ali nos despedimos. O Oceano VI está em Tapes e ali vai permanecer por todo o mês de junho.
Vai deixar saudades...
A velejada foi maravilhosa e rimos o tempo inteiro.
Deus nos ajudou como sempre e o Wind 34' superou as expectativas novamente...