Contato

instrutor: Capitão Marcelo Visintainer Lopes
fone/whatsapp: (48) 988.11.31.23
escoladevelaoceano@gmail.com

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Faltam só 03 dias para a largada



As malas estão prontas e a ansiedade tomando conta! Embarco amanhã ao meio dia e chego em Recife no final da tarde. A largada é dia 25 (sábado). Agora já não consigo pensar em mais nada. Últimos preparativos e checagem de itens de navegação (GPS, pilhas sobreçalentes, cartas náuticas, régua e compasso, lápis e borracha, VHF portátil, etc, etc). Tudo isto é redundante já que o Planeta Água tem tudo a bordo, não é mesmo? O fato é que devemos ter tudo multiplicado por 2 ou 3. Esta é a melhor regra de segurança que existe no mar.  Sempre que posso levo tudo no meu kit de segurança, independente se o barco possui ou não os equipamentos sobreçalentes. O máximo que vai acontecer é eu não tirar nada da mala.
Hoje pela manhã recebi um e-mail do Comandante Fernando Maciel perguntando quando chego lá. Respondi: amanhã no final da tarde!

Ao responder à pergunta do Fernando me veio a lembrança do ano de 2004 quando corri a REFENO pela primeira vez. Eu era o comandante do Oceano (Delta 32) e lembrei os momentos de ansiedade que antecederam a largada. A chegada dos tripulantes era o que mais me deixava ansioso, mais até do que a própria vistoria da Marinha e toda a preparação para a regata.
A gente fica sempre com aquela sensação de que o cara vai se atrasar. Pensamos até no planos B e C. " Se fulano se atrasar posso pegá-lo no trapiche do PIC (Pernambuco Iate Clube) ou lá no Marco Zero, ou ainda: derrepente o cara pega uma carona com uma lancha, sei lá". É pessoal, essa é a vida de um comandante: tudo tem que estar impecavelmente acertado. Abastecimento de água e combustível, alimentos, revisões de segurança, vistoria da Marinha, etc, etc. Imaginem então faltar um tripulante... É um prejuízo enorme. A falta de um tripulante ocasiona um transtorno gigantesco. É muito simples: os demais membros da tripulação terão que fazer o trabalho daquele que está faltando.  

Bem, passando o capítulo da tripulação, é só alegria... Afinal não é todos os dias que navegamos com os amigos em alto-mar.
Devemos fazer o percurso em aproximadamente 40 horas, chegando em Noronha no domingo à noite ou na madrugada de segunda-feira.


Por Marcelo Lopes


Recife Fernando de Noronha



Fotos: arquivo

Texto: site oficial da REFENO (http://www.refeno.com.br/)

A Regata Internacional Recife - Fernando de Noronha atrai, todos os anos, competidores do Brasil e de várias partes do mundo. E não é difícil entender por quê. O mar, o vento e o clima de Pernambuco são ideais para a navegação. E as paisagens, tanto na partida quanto na chegada, são das mais belas do país.


Os barcos partem do Marco Zero, ponto turístico do Recife e seguem com destino a Fernando de Noronha, ilha oceânica de águas cristalinas, onde é possível encontrar natureza pura, com golfinhos e atobás fazendo a festa dos visitantes. São 300 milhas náuticas de percurso, ou 545 km entre céu e mar.

Organizada pelo Cabanga Iate Clube de Pernambuco, em parceria com a Federação Pernambucana de Vela e Motor, a REFENO quebrou um recorde em 2004: foram 146 barcos inscritos na regata. Veleiros de tamanhos e categorias diferentes. E o grande vencedor foi o Ave Rara, um trimarã de Pernambuco, embarcação espartana e muito veloz, comandada por Vicente Gallo.

A REFENO é considerada a primeira regata oceânica do país. Ela foi criada há dezoito anos e cresceu tanto, que hoje é necessário limitar o número de participantes.

O atual recorde é do veleiro Adrenalina Pura, da Bahia, que tem como comandante Georg Ehrensperger. Ele conquistou a marca de 14 horas, 34 minutos e 54 segundos em 2007.

Mas não é apenas o barco que chega primeiro que recebe prêmio na regata mais charmosa do Brasil. Além do fita azul, os três primeiros colocados das diversas classes também recebem troféus. Outras premiações também fazem a alegria dos competidores, como o primeiro estrangeiro a cruzar a linha de chegada, o barco que vem de mais longe, o tripulante mais jovem e o mais velho e a primeira mulher a chegar. O penúltimo colocado na regata leva para casa o troféu TAMAR: tartaruga marinha.

E é assim, festejando do primeiro ao último colocado, que a REFENO faz sucesso. Ela é muito mais do que uma simples competição; é um ponto de encontro de amigos, que escolheram a vela como estilo de vida.

História

Navegar entre o Recife e Fernando de Noronha sempre foi o sonho de muitos velejadores. A primeira travessia, ainda amadora, aconteceu em 1984, realizada pelo barco Odisseus, que contou com cinco tripulantes. Hoje o veleiro se encontra no Museu do Tubarão, em Fernando de Noronha.

Em 1985, um dos tripulantes do Odisseus, o velejador Maurício Castro, resolveu promover com alguns amigos, um cruzeiro com destino à ilha. Seis barcos fizeram a travessia, que ganhou o nome de Cruzfafeno - Cruzeiro em Flotilha ao Arquipélago de Fernando de Noronha.

Com o sucesso da Cruzfafeno, um ano depois foi realizada a primeira REFENO - Regata Internacional Recife - Fernando de Noronha. A competição contou com a participação de 20 veleiros de várias partes do mundo. O principal objetivo dos organizadores foi promover uma regata ecológica, na qual os velejadores tivessem que cumprir também regras para preservar o meio-ambiente. E deu certo. Desde que foi criada, a REFENO ganha mais e mais adeptos apaixonados, que acabam voltando no ano seguinte para matar a saudade.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Mestre Amador - fim de curso





Turma pronta para a prova do dia 30 de setembro.
Mais uma turma é formada e 06 novos comandantes aptos a navegar no mar.
Olhando de fora parece fácil demais mas foram noites e noites de muita dedicação e esforço de todos.
Geografia, matemática básica e muita atenção aos detalhes da carta náutica são os fundamentos necessários para se estar presente em um curso como este. 
Preparamos os alunos com base na nevegação estimada e na segurança da navegação costeira.
A aprovação na prova da Marinha acaba sendo só uma consequência da leitura do polígrafo e do questionário publicado no final.
Não é isto que importa e nem o qu nos interessa como instituição de ensino náutico. O que tem verdadeira importância é que o aluno saia do curso ciente de suas responsabilidades como futuro comandante da navegação costeira, seguro  e sabedor de suas limitações.
Ficamos noites e noites fazendo plotagens de posição e cálculos envolvendo distância, rumos, desvios e declinações, marcações, análise de tábua de maré, cálculos de consumo de combustível, meteorologia, check-lists de segurança, etc, etc.
Muitas vezes fui indagado sobre a necessidade real daquilo tudo. O GPS faz tudo isso sozinho, não faz? Quase tudo, realmente, mas não sozinho. precisa de um comandante dando as ordens. Ele só executa e quando falha, por alguma razão (perda de energia, quebra, perda de sinal, etc) ficamos completamente sem saber onde estamos e sem saber o que fazer. Pergunta respondida!!!
Agora as coisas começam a se explicar e a fazer sentido, pois não há nada pior do que uma pessoa ficar se perguntando por que razão está ali sentada, perdendo seu tempo com instrumentos que parecem ultrapassados. Esta é a base da navegação moderna. Confiamos no GPS sim, porém aplicando as plotagens de posição de meia em meia hora ou de hora em hora, sem excesso de confiança no aparelho e sem preguiça de ir para a mesa de navegação anotar a posição, a hora, o rumo magnético e a velocidade do barco.
Navegar é isso senhores!
Agora é só esperar o dia do exame e aguardar o resultado. Espero vê-los navegando muuuuito pela nossa costa. Até breve comandantes!!

O curso foi organizado e realizado pela Motoryama em parceria com a Escola de Vela Oceano. 




Por Marcelo Lopes 















domingo, 12 de setembro de 2010

Arrais Amador dia 18 de setembro

Data: 18 de setembro
Horário: das 9h às 17h
Onde: Marina da Conga (Ilha das Flores)
Curso teórico/prático com saída embarcada.
Informações: (51) 8482.1584 ou no site motoryama.com.br

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Mestre Amador na Motoryama

Inicia hoje à noite na nova loja da Motoryama em Porto Alegre mais uma turma do curso preparatório para a habilitação de Mestre Amador.
O curso será realizado hoje, amanhã e sexta e na semana que vem, na segunda e terça-feira.
As aulas iniciam às 19h e vão até às 22h30.
No último dia de curso será realizada uma saída noturna a bordo do veleiro escola Oceano III.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Perna Salvador/Vitória



Estão abertas as inscrições para a perna Salavador/Vitória.
A previsão de saída é 09 de outubro e chegada no dia 13.
Para mais informações: (51) 8482.1584

Encerradas as inscrições Recife/Salvador

Foram encerradas nesta quinta-feira as inscrições para a 1ª perna do curso de navegação costeira do trecho Recife/Salvador.